Status

Abrindo meu coração para 2017

O relógio já passa da meia-noite e o calendário já mudou tem uns dias. Eu só resolvi postar um texto de seja bem-vido 2017 agora porque é exatamente agora que estou pronta para dizer o motivo do meu sumiço aqui do blog, porque eu costumo escrever sobre experiências próprias e realmente eu não estava em condições. Precisava de um tempo para mim, para a fase difícil que 2016 me proporcionou de amadurecimento. Acho que não só para mim mas para o mundo todo e em todos os aspectos. Talvez, quem inventou esse lance de querer controlar o tempo, quisesse ter mais uma chance de realizar seus sonhos, eu me senti assim!.

Comecei meu 2016 com tudo, mudei o período da faculdade para noturno, e tudo corria bem até eu perder o que levei anos para conquistar materialmente. Aquilo me deixou mal, porém continuei. Depois de uma pancada de exames médicos fui diagnosticada com uma doença que segundo os médicos me mataria em meses. Para melhorar quando chegou a data da rematrícula da faculdade em agosto eu caí para trás com o aumento absurdo da mensalidade. Meu mundo começou a despedaçar ali, não sabia mais parar de chorar, tinha vergonha de dizer aos meus pais que EU NÃO PODIA PAGAR e vi minha carreira profissional ser destruída por instantes e dias e mais dias, tudo o que sofria segunda a segunda trabalhando em finais de semanas e também feriados não estava sendo o suficiente. Nesse meio tempo conheci uma pessoa, e esta me fez sentir a música que eu deixei para trás a mais de 7 anos, gostei dele mais por isso, não era o físico que pedi a Deus muito menos um profissional que sempre sonhei ao meu lado, mas ele tinha o que nenhum outro tinha, mas era o que todos outros foram, então veio a foto com a “outra” em um jantar nada simples. Naquele dia eu surtei. Acho que nem era a foto, o que ele fez, e sim pelo que ele contribuiu. Fiquei paranoica, comecei a procurar ver tudo, e quanto mais via aquilo me irritava e me deixava mal, e que prazer eu tinha naquilo? Estava doente, e a cada dia mais me envenenava, estava quase me suicidando.

Mas a vida é assim, cheia de surpresas, sejam boas ou ruis você precisa aceitar, e eu não aceitava, então me senti depressiva, e aquilo tudo estava me toxicando, estava adquirindo uma vida toxica, e que vida eu tinha? Eu estava prestes a perder tudo e só piorava a cada dia.

Então o desespero chegou, fiz o semestre em outra faculdade, e perdi mais dinheiro, não era o que eu esperava, não era o que eu merecia. Sabe as vezes a gente só te que sentar e respirar, as coisas realmente se resolvem da mesma forma que elas vem para nós, pode ser que até demore um tempo, mas tempo é preciso, e é a coisa mais preciosa que temos, não é questão de desperdiçar, mas é questão de saber usar e dosar.

Os resultados daqueles exames foram trocados e tudo que eu tinha era uma ulcera, aquele sim, foi o dia mais feliz porque eu sabia que eu tinha vida.Então eu vi as coisas caminhando para o lado certo. É um sentimento único você saber que era só a vida te testando, você aprende a dar valor a tudo, e vê que aquele sentimento de depressão não é uma frescura, isso realmente existe.

E aquele amor?, bom eu só guardo o que foi bom, e mesmo sem esquecer, eu depositei tudo o que foi ruim numa caixinha de esquecimento dentro de mim. Hoje em dia eu ainda o vejo como alguém especial que me inspira a ser cada dia melhor, e cuidar desse meu coração cada vez mais. Eu o deixei, mas me achei.

Conquistei novamente aquele bem material mas em outro momento e condição melhor e eu simplesmente só tenho a agradecer a Deus por me fazer ser grata e não hipócrita, e saber hoje que tudo depende do querer dEle para nós.

Eu precisava de resiliência, e eu aprendi a tê-la. Ir a guerra, e sentar com meus demônios numa mesa de bar, conversar e apanhar de todos os lados e levantar, ter espírito boxeador dar ganchos de direita nas dificuldades e nocautear a própria dor, limpar o rosto depois do choro e ter uma alma-água, que se adapta ao corpo em que estiver.

Então, quero dizer a vocês que esqueçam um pouco de suas listinha de realizações para o Ano-Novo. Sinta mais a emoção que a vida lhe demanda e priorize as relações ao invés de números que não medem o quanto aquele sentimento pode lhe fazer bem. Aquele beijo demorado vale mais que qualquer curtida na foto do seu último jantar, uma dança na chuva fica marcado na lembrança que uma hora marcada com a manicure, assim como conversas provocam mais sorrisos que qualquer ‘kkk’ escrito.

Não perca muito tempo com o que os outros vão pensar de você enquanto decide aquele caminho que desperta sua paixão por viver. Ninguém disse que seria fácil, mas é tão bom saber que segue uma jornada tão particular, que a vitória começa a partir dessa escolha. Ah, e não se apegue muito aos números. Tenha um planejamento, mas não se prive por todos e por tudo, porque aquele sonho pode não ter se realizado em 2016 ou nem se concretizar esse ano, o importante é saber que já está no caminho dele.

Quero deixar a mensagem de que vocês decidam começar em uma quarta-feira, concluir num sábado qualquer, enfrentar o mundo no domingo, sorrir na segunda-feira e qualquer coisa que esteja na sua listinha. Apenas faça. Vá lá e enfrente seus medos e não desista por causa deles. Que o espírito de realizar seus sonhos esteja presente ao longo do ano dentro de vocês. Não deixe que essa luz se vá com os primeiros dias desse novo ano. Sempre é tempo de fazer aquilo que te deixa feliz e nunca será tarde pra nada.

Um Feliz 2017 a todos!

 

Anúncios
Status

capitulo 1 – Vai com calma TINDERela

Tédio. Tudo que eu não suporto, meus dedos chegam adormecer de tanto deslizar a tela do celular pra lá e pra cá, que vidinha sem graça essa minha. Estava de ferias da faculdade então dava um tempinho para “não fazer nada”.

De repente me aparece um Nova Iorquino usando de um vocabulário absurdo para me deixar de boca aberta e pelinhos da espinha arrepiados. De primeiro ele achou que meu perfil era um fake, e mencionava minha pessoa de “criadores de Rachel”, eu não sabia se eu ria ou chorava, aliás, eu também não sabia se aquele perfil era verdadeiro ou não, enfim , resolvi responder com um “oi” bem fuleiro da minha parte.

Rachel : -Olá, caso eu perca meu sapatinho por aí, me mande uma mensagem no WhatsApp +5511…

As vezes eu me pergunto, que loucura é essa da minha cabeça de achar que eu sou a Cinderela? eu nem sou uma loira branquela que gosta de azul, ou muito menos sei cantar,chego tremer o vidro do boxe quando começo com minha total incapacidade de ficar com a boca fechada enquanto a água cai, acho que o máximo que posso comparar é meu tamanho de calçado 34 né. Que bobagem, o sapatinho nem tinha um número.

Fred: Olá princesa, aqui é o Fred do Tinder, eu nem acredito que me tornei isso para alguém, mas cá estou eu, e ainda bem que é para você..

Fred me mandou essa mensagem em áudio, e a voz dele soa na minha mente até hoje, sinceramente, apaixonante. Quando você não conhece uma pessoa pessoalmente ,mas escuta sua voz é como ela estivesse com você, e o Fred sabia como fazer meus pelinhos da espinha se arrepiarem.

Ele era um workaholic, um homem excepcional, bem mais velho que eu e sinceramente era uma montanha-russa de sentimentos nos quais ele me colocava com total ousadia de perguntar se eu queria estar ali, apenas acontecia, sem virgulas pensadas, estrofes planejadas ou frases feitas, apenas acontecia, até que chegou as reticências, ah , e essas doeram. não teve um pra sempre, aliás essa é uma palavra profunda de mais para usar com pessoas superficiais.

De repente o sempre não é mais pra sempre, e paixão não é amor, e um dia a gente cansa de promessas batidas e repetidas, e se tem uma coisa que eu perdi vontade nessa vida, foi cultivar expectativas, agradeço ao Rapha por isso. Amor é mar, não se contente com só quer molhar os pés. Quanto menos rotina mais vivência.

Eu e o Fred não demos certo, o tempo dele brigou com o meu, e não era essa a intenção, certo que só o tempo é capaz de intender um grande amor, e o carinho , a cumplicidade deve continuar do mesmo jeito. Ainda me lembro como aqueles olhos verdes me diziam muitas coisas, mas tive a lição que nem sempre ter razão é a coisa mais importante

Então vamos lá, deixa para lá. Apenas deixe acontecer. Deixe o vento levar, da mesma forma que trouxe, eu já havia quase me esquecido  que nasci no outono, folhas vem e vão, verdinhas, amarelinhas, vermelhinhas , e simplesmente sequinhas, uso no diminutivo pra me mostrar como amores de um deslizar de tela vem e vão. A diferença é que eu tenho a escolha deles irem para a direita ou para a esquerda, as folhas não. O que me conquista na verdade são atitudes, palavras, valores em um monte de coisas simples cujo o verdadeiro valor a gente só descobre quando apende ser leve.